Macrotendências Primavera Verão 2022/2023

2023 é um ano que traz em sí a maravilhosa possibilidade de ser o início de uma era pós pandemia. Mas também é tempo de ver sem enganos o que mudou na forma como produzimos e consumimos, nos nossos novos hábitos e necessidades.

Macrotendências Primavera Verão 2022/2023
Crédito:Prostock-Studio

Macrotendências WGSN

As profundas mudanças de comportamento causadas pela rápida inserção do universo digital na vida profissional e pessoal de todos nós são a linha guia da identificação das macrotendências de mercado no mundo neste momento.

O período de isolamento social transformou as relações de trabalho, a forma de conexão entre as pessoas e claro, a forma como produzimos e consumimos.

Agora, neste período pós imposição do isolamento social, várias destas mudanças de comportamento já estão comprovadas como uma realidade que veio para ficar.

O resultado de tudo isso é a consolidação de novas formas de funcionamento do mercado, impactando de forma muito original especialmente o funcionamento do mercado de moda.

As macrotendências para a próxima temporada identificadas pela agência WGSN são praticamente um roteiro do impacto de tudo isso no comportamento das pessoas.

Segundo a WGSN, a próxima temporada vai destacar a importância do que eles chamam dos 4 Cs, conexão, conservação, comunicação e comunidade.

Estes 4Cs são a base dos sete principais macrotemas das tendências WGSN para  a temporada Primavera Verão 2022/2023.

Macrotema 1 Reforma Radical

(Crédito:FilippoBacci/iStock)

É a principal macrotendência apontada pela WGSN. Ela fala do compromisso de fazer acontecer mudanças estruturais na sociedade, que em sua maioria ainda permanecem no plano das promessas.

Mudanças estruturais como o respeito à diversidade de etnias, culturas e corpos, a sustentabilidade nos processos produtivos, a preservação do meio ambiente e muito mais.

A Reforma é radical porque a tolerância é zero com adiamentos e com a terceirização da culpa da situação em que vivemos. É uma convocação quase pessoal para assumir responsabilidade por todas estas mudanças.

Enfim, a Reforma Radical é a adoção de um comportamento pessoal coerente com um padrão de consumo que não aceita mais empresas descompromissadas com a sustentabilidade do seu processo produtivo ou descompromissadas com a inclusão social na criação e divulgação dos seus produtos, por exemplo.

Macrotema 2 Proteção e Segurança

(Crédito:nikkimeel/iStock)

Este macrotema fala de como a busca por conforto, proteção e segurança ainda permanece em alta.

É uma macrotendência com forte influência no comportamento de consumo das pessoas, indicando boa aceitação de modelos e acessórios que ofereçam a sensação de conforto, com as funcionalidades de resistência e proteção e até mesmo a boa aceitação de produtos de segurança criados especialmente para a moda.

Macrotema 3 Paradoxo Tecnológico

(Crédito:jittawit.21/iStock)

A rápida inserção do universo digital na vida profissional e pessoal de todos nós apresenta pelo menos dois paradoxos.

O primeiro mostra a contradição entre o aumento da facilidade de comunicação entre as pessoas e ao mesmo tempo a diminuição da necessidade do contato presencial no relacionamento, que vem agravando transtornos psicológicos desencadeados durante o isolamento social.  

O segundo paradoxo é o excesso de informações e a discrepância de relevância entre elas, causando o fenômeno das pessoas se informarem sobre muita coisa, mas sem se aprofundar em nenhuma delas. Isso sem falar dos danos da banalização da publicação de fakenews, por causa do livre acesso à publicação, sem controle da responsabilidade por suas consequências.

Falando do mercado de moda, estes paradoxos estão causando o enfraquecimento do poder dos influenciadores digitais, uma busca por conteúdos mais relevantes e finalmente, uma demanda por regras e leis que organizem a exposição dos conteúdos publicados.

Vai sair na frente quem produzir a própria novidade para publica-la. Parece que daqui pra frente deve ficar cada vez mais claro quem é notícia e quem publica notícias.  

Macrotema 4 Comunidade 3.0

(Crédito:metamorworks/iStock)

Um fenômeno importante do isolamento social foi o  fortalecimento da economia local e da iniciativa de colaboração com a comunidade, como por exemplo, as parcerias para a digitalização da administração e comércio de modelos de negócios mais simples.

Isso ampliou a rede de fornecedores. Estes pequenos empresários, agora incluídos na comunidade global digitalizada, têm acesso à melhor capacitação das pessoas e principalmente, acesso a um maior número de oportunidades de negócios.

Essa realidade empoderou as comunidades locais, ampliando as atividades de e-commerce e delivery para além do comércio de alimentos e itens básicos de consumo.

Agora as pessoas compram de micro, pequenos e médios empresários móveis, eletrodomésticos, roupas e acessórios através de market places multimarcas como a Amazon, Mercado Livre e Magazine Luiza.

Como interpretar a influência deste macrotema em seu negócio de moda? Quais são as oportunidades de ampliar os negócios de produtos de moda incluindo cada vez mais os serviços? Como explorar a customização e personalização como vantagens competitivas dos pequenos negócios?

Macrotema 5 Meio ambiente, da urgência à emergência

(Crédito:kiattisakch/iStock)

A preservação e recuperação do meio ambiente são agora mais que uma urgência, são uma emergência, até porque o impacto da degradação do meio ambiente na vida das pessoas já é perceptível por elas.

Por princípio, este macrotema está embaralhado com o macrotema Reforma Radical. Podemos esperar aqui também um comprometimento das pessoas com a preservação e recuperação do meio ambiente na hora de fazer suas escolhas de compras.

Isso vai aumentar a demanda por visibilidade da sustentabilidade do processo produtivo das empresas e até de suas ações regenerativas do meio ambiente.

Não basta mais só se comprometer com tudo isso, é preciso divulgar e tornar comprovável pela população todo este comprometimento com a preservação e recuperação de meio ambiente, para que sua empresa garanta a fidelidade do seu público consumidor.

Macrotema 6 Geração Recessão

(Crédito:Aghavni Shahinyan/iStock)

A atual crise econômica agravada  pela pandemia é mundial e este cenário de insegurança financeira da população impacta diretamente o poder de consumo do mercado global. Não há para onde fugir deste cenário

Estamos vivendo uma realidade de escassez, que é ao mesmo tempo causa e efeito do aumento do desemprego, da precariedade das relações de trabalho, da inflação e do aumento da desigualdade social, cujo principal resultado é um cenário de recessão econômica mundial.

Não mais uma recessão econômica nos países ocidentais como na crise de 1929, mas desta vez, uma recessão econômica de escala planetária.

O poder de consumo de um enorme contingente de pessoas está tão reprimido que encontramos aqui mais um paradoxo.

Apesar da preocupação com a sustentabilidade do processo produtivo das empresas e da preocupação com a preservação e recuperação do meio ambiente, o fator preço competitivo se torna ainda mais forte do que tudo isso, criando um cenário favorável às empresas de fast fashion, menos comprometidas com estas questões, mas com preços de mercado de valores mais acessíveis.

Com criar políticas de mercado capazes de lidar com a queda do poder de consumo, mantendo o comprometimento com a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente?  

Como se preparar para o mercado do consumo consciente da geração recessão em um futuro muito próximo?

Enfim, como se preparar desde já para um cenário sem uma recessão tão acentuada, mas com um público consumidor moldado por restrições de consumo?

Macrotema 7 Novas Alianças

(Crédito:vittaya25/iStock)

A insegurança que estamos vivendo também é um fenômeno global, que está pautando um aumento visível nas tensões e conflitos entre nações e na disputa de mercados do processo da globalização.

Acontece que toda crise é desenhada por dois traços. Um representa o risco e o outro a oportunidade.

Quais são as oportunidades neste cenário mundial para criação de processos produtivos e comerciais menos centralizados?

Quais são as oportunidades de consolidar mercados regionais comprometidos com parcerias mais duradoras?

Quais são as oportunidades para criar e consolidar no mercado global uma identidade de estilo mais autoral e regional?

Perfis de Consumidor 2023 WGSN

2023 é um ano que traz em sí a maravilhosa possibilidade de ser o início de uma era pós pandemia. Mas por outro lado é também o ano de enxergar de vez que o mundo nunca mais será o mesmo.

É hora de ver sem enganos o que muda na forma como produzimos e consumimos, na forma como nos relacionamos com nossas novas experiências de mercado e com nossos novos hábitos e necessidades.

Em 2023 ainda estaremos sob as influências opostas das necessidades de expansão e libertação e do medo de uma retomada desta crise sanitária ou até do surgimento de uma nova pandemia.

Mas desta vez, o movimento de expansão e libertação vai contar com a volta dos eventos públicos como mega shows, festivais internacionais, festas e eventos com encontros presenciais de lazer ou trabalho.

Será que esta retomada dos encontros presenciais vai ser uma força capaz de minar as forças do medo e da insegurança, que têm causado tantos transtornos psicológicos, causando inclusive a manutenção e até o crescimento dos relacionamentos virtuais entre as pessoas?

No texto do blogModacad "O que é Metaverso e como criar moda dentro dele", falamos da aceleração da digitalização das relações e, obviamente, isso também altera a percepção e o comportamento dos consumidores.

Considerando tudo isso, a WGSN identificou quatro perfis principais de consumidores. Conhecer estes perfis vai ajudar criadores e empresários a produzirem coleções que atendam ao desejo e ao comportamento de consumo do seu público alvo, para consolidar o sucesso nas vendas.

Perfil de consumidores 1 Antecipadores

(Crédito:Inside Creative House/iStock)

Este é o consumidor que age com cautela e busca estabilidade. Para ele, consumir é uma questão de necessidade e não de lazer.

São as pessoas ainda muito afetadas pelo estado de emergência da pandemia que virou nossas vidas de ponta a cabeça. Elas estão desgastadas emocionalmente, desmotivadas em relação ao futuro e pouco confiantes na melhora da situação econômica.

É o tipo de consumidor que precisa identificar claramente uma necessidade de uso para comprar um produto e, ainda assim, busca durabilidade, qualidade e garantias para decidir suas compras.

Podemos supor que uma das respostas a estas demandas é a construção de relações de confiança sólidas entre consumidor e empresa.

Este é o tipo de consumidor difícil de conquistar, mas com forte inclinação para se fidelizar quando encontra respostas para todas as suas demandas.

Perfil de consumidores 2 Novos Românticos

(Crédito:Imgorthand/iStock)

Este é o consumidor guiado pelas conexões emocionais. Suas decisões de compra se orientam pela participação de ações colaborativas, afetivas e comunitárias.

Para atrair este público os produtos precisam gerar conexão, despertar emoção e resgatar relações entre pessoas ou com a natureza. Mais do que o produto em si, os novos românticos avaliam experiência da compra e o relacionamento criado por ela.

As pessoas deste perfil de púbico consumidor lidaram de forma mais flexível com as novas formas de relacionamento e comportamento impostas pelo isolamento social.

São aquelas pessoas que viram no trabalho remoto a oportunidade de sair da cidade e viver próximo à natureza, de reconstruir suas rotinas com mais liberdade e de se abrir para participar de ações colaborativas e comunitárias.

Enfim, os Novos Românticos são pessoas que buscam relacionamento, identificação e reconexão em suas decisões de compra.

Produtos artesanais, naturais e sustentáveis são os seus preferidos. Ainda mais se estes produtos mobilizarem a comunidade local e proporcionarem experiências sensoriais envolventes.

Perfil de consumidores 3 Inconformados

(Crédito:netrun78/iStock)

Os inconformados podem ser identificados nos macrotemas Reforma Radical e Geração Recessão.

A percepção da falta de comprometimento de governos e instituições com a vulnerabilidade das pessoas nesta crise sanitária e econômica escancarou a consciência da desigualdade social.

Os inconformados são pessoas que usam a tecnologia para a conscientização e mobilização das pessoas em ações sociais para "reconstruir o mundo.

É um perfil de pessoas conscientes da emergência de questões como a diversidade de etnias, culturas e corpos na desconstrução da desigualdade social.

São militantes desta e de outras causas que ajudem a sua "reconstrução do mundo" e por isso se preocupam com a cultura e valores das empresas que produzem o que eles consomem.

Ou seja, além de valorizar a qualidade do produto, os Inconformados valorizam o compromisso das empresas com suas relações de trabalho, com a inclusão social de seus colaboradores e consumidores, com os impactos do seu processo produtivo no mundo e, é claro, do compromisso das empresas com a preservação e recuperação do meio ambiente.

Enfim, os Inconformados são exigentes. Querem produtos com qualidade e durabilidade, feitos por empresas com responsabilidade social e ambiental.

Perfil de consumidores 4 Condutores

(Crédito:panchanok premsrirut/iStock)

Os condutores têm espírito pioneiro. Gostam de estar à frente das novidades, de experimentar e testar. Inovação, tecnologia e aprendizado são os valores que orientam suas decisões de compra.

Suas experiências de compra são em sua maioria virtuais e as experiências de compra presenciais precisam ser interativas e despertar sua curiosidade.

Os condutores, são pessoas com diversas habilidades e incrível capacidade de se adaptar à novas situações e tecnologias, inclinados a investir em produtos e serviços que tenham real utilidade e facilitem suas vidas.

São o perfil de consumidores que provavelmente já estão desbravando o metaverso, porque são os mais engajados com tecnologia 3D e realidade virtual.

Macrotendências Primavera Verão 2022/2023 Casa Firjan

Para o laboratório de tendências da Casa Firjan são três as principais macrotendências para esta temporada, Cybertopia, Altermundo e Pluridiverso.

Estas macrotendências se baseiam nos fenômenos da democratização do acesso à tecnologia, da disseminação da prática do trabalho híbrido e da crise climática e ambiental.

Macrotendência 1 Cybertopia

(Crédito:ipopba/iStock)

Cybertopia... O imaginável contido na ideia do cibernético.

Esta macrotendência fala dos efeitos sociais do crescimento da interatividade via tecnologias de acesso cada vez mais descentralizado, como a tecnologia de blockchain e seus subprodutos criptomoedas e NFTs.

Fala também dos efeitos sociais da popularização do uso da inteligência artificial e da crescente inserção da realidade virtual e aumentada em nossas vidas, proporcionando experiências virtuais imersivas cujo grau de envolvimento dos sentidos é cada vez mais próximo da própria experiência da realidade.

A Cybertopia aponta também as expectativas de como serão nossas vidas com uma super exposição da privacidade e com a precariedade do controle da segurança dos nossos próprios dados pessoais.

Quais os principais desejos esta macrotendência identifica?

Como responder à demanda de tranquilidade e segurança diante da inovação acelerada apontando para o desconhecido?

Como ir de encontro à curiosidade e atração provocadas por esta inovação acelerada apontando para o desconhecido?

Macrotendência 2 Altermundo

(Crédito:Galeanu Mihai/iStock)

Esta macrotendência fala das mudanças de mentalidade e comportamento social causadas pela demanda de uma vida em sociedade com mais transparência e justiça.

A Altermundo aponta o crescimento da exigência de transparência das empresas quanto à garantia da procedência sustentável de suas matérias primas, à legalidade das suas relações de trabalho e quanto ao compromisso com os impactos sociais e ambientais da operação de seus negócios.

Enfim, a Altermundo aponta o crescimento do número de consumidores mais exigentes com a qualidade dos produtos e mais conscientes dos impactos de suas escolhas de consumo para a sociedade em geral.

Como transformar todas estas exigências em uma parceria empresa consumidor?

Como conscientizar o consumidor sobre a realidade dos objetivos de curto, médio e longo prazo?

Como agregar valor ao produto final com todo este investimento em mudanças no processo produtivo?

Macrotendência 3 Pluridiverso

(Crédito:gremlin/iStock)

Esta macrotendência fala do crescimento da vida híbrida, isto é, da mistura do digital e do presencial em nossas vidas e de como os relacionamentos entre as pessoas acontecem nestes dois universos.

Por um lado, o Pluridiverso aponta a "diminuição das distâncias e a ampliação das possibilidades de experiências". Fala deste fenômeno tanto nas relações de trabalho remoto, como nas relações sociais e interpessoais.

Por outro lado, esta macrotendência alerta para o desafio de manter a fidelidade dos clientes com a ampliação do acesso das pessoas à divulgação de um número cada vez maior de produtos concorrentes.

Como tirar proveito desta ampliação do acesso à divulgação de um número cada vez maior de produtos concorrentes?

Como aprofundar seu conhecimento sobre os seus produtos e mercado estudando a concorrência?

Como agregar valor aos seus produtos de moda para se destacar da concorrência?

Gostou deste texto  "Macrotendências Primavera Verão 2022/2023 "?

Não perca os próximos textos da série, "Cores e estampas Primavera Verão 2022/2023" e "Tecidos e Modelos Primavera Verão 2022/2023".

Aproveite também para acessar o app.Modacad e conhecer nossos modelos com moldes para o corte e costura. Faça mais! Experimente na tela do app suas amostras de tecidos nos modelos para fazer suas criações. É só fazer o upload das imagens para começar a trabalhar.

O acesso ao app.Modacad é gratuito e ilimitado!

Faça parte do nosso trabalho e compartilhe nosso post ajudando a divulgar o blogModacad.

Acompanhe também nossas redes sociais no Instagram, Linkedin, Facebook, Pinterest e canalModacadYoutube.